Governo do Distrito Federal
19/10/22 às 10h54 - Atualizado em 19/10/22 às 10h54

R$ 21,5 milhões investidos na reforma das escolas de Ceilândia em 2022

Da cobertura de quadras a pinturas de salas e fachadas, obras melhoram as estruturas prediais, com reflexo no desempenho de alunos

Hédio Ferreira Júnior, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo

Os muros estão pintados. As cantinas, reformadas. E mais seis escolas têm coberturas nas quadras poliesportivas, enquanto em outras duas as construções estão em andamento. A estruturação predial das unidades de ensino de Ceilândia vêm dando mais qualidade e resultados no aprendizado de 79.172 estudantes da região, onde só em 2022 já foram investidos R$ 21.551.698 na reforma e outras obras.

No CEF 12, no Setor O, os 853 alunos receberam nesta semana a quadra de esportes reformada e, agora, com cobertura | Fotos: Tony Oliveira/Agência Brasília

Todas as 96 unidades de ensino sob a tutela da Regional de Ensino de Ceilândia passaram por algum tipo de reforma este ano – das mais simples, como trocas de lâmpadas convencionais por LED ou pavimentação de estacionamento, às mais complexas, que incluem a construção de sala para professores, vestiários com chuveiros ou até áreas de convivência para os estudantes.

A Regional de Ensino de Ceilândia é responsável por 91 escolas da região – sendo quatro em área rural –, cinco do Sol Nascente/Pôr do Sol e uma de Brazlândia, também no campo. Há ainda 29 creches parceiras, que são instituições particulares conveniadas ao Governo do Distrito Federal (GDF). Os recursos investidos nas obras são de origem do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (Pdaf) e de emendas parlamentares.

Já no CEF 26, também no Setor O, foi construída uma área de convivência com mesas, bancos e jardim

Grande parte das obras e dos reparos é de prestadores de serviço, microempreendedores e pequenas empresas da região, o que movimenta e aquece a economia local com as contratações.

Coordenador regional de ensino, Carlos Ney lembra que promover melhorias estruturantes nos prédios das escolas reflete no bem-estar e no bom desempenho do estudante em sala de aula. “Um espaço agradável e bem cuidado faz com que o período do estudante na escola se torne mais prazeroso e proveitoso, com resultados melhores nos índices escolares”, diz.

No Centro de Ensino Fundamental (CEF) 12, no Setor O, os 853 alunos dos dois turnos estrearam nesta semana a quadra de esportes reformada e, agora, com cobertura. O espaço usado nas aulas de educação física e em práticas esportivas teve muitas aulas suspensas, principalmente nos períodos de grande calor, por mal-estar dos estudantes no sol quente.

“Os meninos e meninas ficavam desestimulados e tinham dificuldade de concentração, deixando de participar das atividades. Agora temos mais segurança e aproveitamento pleno nas aulas”, afirma o professor de educação física Inácio Manoel Júnior, que dá aulas na unidade desde 2011.

Mais benfeitorias

Além das melhorias na quadra, o CEF 12 recebeu outras benfeitorias em 2022. As janelas basculantes das salas de aula foram substituídas por blindex, o piso do estacionamento está pavimentado, o banheiro dos professores reformado, o painel externo pintado e grafitado por um artista de Ceilândia e uma área de convivência está sendo preparada ao lado do refeitório da cantina. “Nosso objetivo é atender tanto os alunos quanto os professores”, completa o diretor da unidade, Flávio Silva de Moraes.

Outra escola no Setor O que também recebeu investimentos é o CEF 26. Por lá foram construídos um vestiário para os 900 alunos se trocarem e tomarem banho após as aulas de educação física e uma área de convivência com mesas, bancos e jardim. E, e em até 60 dias, fica pronta uma nova sala da coordenação para os cerca de 60 docentes do centro de ensino.

“As reuniões estavam sendo improvisadas em uma sala de atendimento dos pais, já que a dos professores têm cerca de 40 m² e não cabia todo mundo. No ano que vem já teremos uma três vezes maior, o que melhora as condições de quem trabalha aqui”, aposta o diretor do CEF 26, Roberto Napoleão.