Governo do Distrito Federal
16/05/22 às 11h32 - Atualizado em 16/05/22 às 11h32

Feira apresentará tecnologias e boas práticas a produtores rurais

Durante o evento, que começa nesta terça-feira (17), Emater-DF vai orientar sobre medidas que garantem mais qualidade dos alimentos e economia no campo

Agência Brasília* I Edição: Débora Cronemberger

O circuito de Saneamento Rural e Segurança Alimentar vai oferecer uma verdadeira maratona de conhecimento ao visitante do Espaço da Emater-DF durante a AgroBrasília, que começa nesta terça-feira (17) e será realizada até o dia 21 deste mês, no PAD-DF. Serão apresentadas dez tecnologias que visam melhorar a qualidade de vida do produtor rural, garantir a segurança alimentar e a adoção de boas práticas agrícolas.

Emater vai orientar produtores rurais em temas como coleta seletiva e compostagem | Fotos: Ana Nascimento/Emater-DF
Os produtores rurais poderão aprender sobre temas como a implementação de coleta seletiva na propriedade, identificando resíduo reciclável, rejeitos e resíduos orgânicos. Também  será mostrado como fazer uma composteira domiciliar a partir dos resíduos orgânicos. O participante da feira vai aprender ainda como instalar tanque de evapotranspiração, além de obter informações sobre funcionamento e cuidados com tanque séptico com biofiltro, biodigestor, caixa de gordura, sumidouro, vala de infiltração e círculo de bananeiras.

A coordenadora do Circuito de Saneamento Rural e Segurança Alimentar da Emater-DF, Ana Paula Rosado, lembra que essas tecnologias despertaram o interesse de parlamentares na destinação de emendas para a execução de projetos, como o de instalação de sistemas de esgotamento sanitário nas propriedades rurais atendidas pela empresa.

“A Emater é uma empresa de assistência técnica e extensão rural e trabalha para o desenvolvimento rural e segurança alimentar. Assim, é de extrema importância trabalharmos no circuito com tecnologias relacionadas ao saneamento rural. Elas podem trazer benefícios para a saúde do agricultor e de sua família, para a qualidade do alimento que está sendo produzido ali e para o meio ambiente”, disse Ana Paula.

“Serão apresentadas também tecnologias que buscam promover a segurança alimentar e nutricional do agricultor e de sua família. Tudo isso tem uma profunda relação com a missão da empresa”, acrescentou.

A extensionista rural e também coordenadora do circuito Danielle Amaral ressaltou a importância do resgate de uma alimentação com menos produtos industrializados e mais alimentos produzidos na propriedade por meio de horta e pomar, valorizando seu consumo pela família, promovendo a segurança alimentar e nutricional e, ainda, economia.

Quintal produtivo

Além das opções de saneamento rural, o agricultor receberá informações sobre identificação, valor nutricional e formas de utilização na alimentação de Plantas Alimentícias não Convencionais (Panc), plantas medicinais, horta e pomar.

As Panc são aquelas espécies vegetais que possuem uma ou mais partes alimentícias, porém não estão inseridas no consumo diário pela população, seja por costume, seja por desconhecimento. Algumas dessas plantas são tidas como “mato”, pois podem nascer de forma espontânea, embora possam ser cultivadas, tendo em vista o baixo custo de plantio, sabor e valor nutricional.

Azedinha, beldroega, capuchinha, peixinho, ora-pro-nóbis, serralha, taioba, vinagreira e chaya são algumas das opções de  Panc apresentadas no circuito, assim como as formas de utilização na alimentação e o valor nutricional de cada uma.

O produtor que visitar o circuito de Saneamento Rural e Segurança Alimentar e Nutricional também aprenderá sobre a importância de um quintal produtivo, com arvores frutíferas, hortaliças e plantas medicinais como fonte de alimentação com variedade, qualidade e riqueza nutricional para a promoção da saúde da família rural.

A infraestrutura da propriedade está diretamente relacionada à qualidade de vida dos moradores e de uma produção com qualidade. Dessa forma, aspectos como organização, limpeza e higiene são fatores que devem ser considerados.

Dentro da programação do circuito, os produtores vão aprender como fazer e pintar as paredes e muros com tinta de terra e deixar o ambiente mais bonito e protegido termicamente. Tudo isso é possível pagando menos de 25% do valor das tintas convencionais e utilizando apenas três ingredientes: terra, cola e água.

Finalizando a maratona de aprendizado, o produtor rural receberá informações sobre boas práticas agrícolas com foco na organização da propriedade rural. Assim, o uso dos equipamentos de proteção individual (EPIs) durante plantio e colheita e a forma correta de armazenar ferramentas, insumos e produção serão alguns dos tópicos dessa etapa.

*Com informações da Emater-DF