Governo do Distrito Federal
15/02/22 às 9h13 - Atualizado em 15/02/22 às 9h13

Educador Esportivo Voluntário promove capacitação de participantes

Voluntários conheceram mais sobre o sistema digital de prestação de contas das atividades desempenhadas

A Secretaria de Esporte e Lazer (SEL) promoveu, nesta segunda-feira (14), no auditório do Serviço Social da Indústria (Sesi), mais uma capacitação para os participantes do projeto Educador Esportivo Voluntário (EEV). Eles conheceram mais sobre o sistema digital da iniciativa que ajudará na prestação de contas das atividades desempenhadas em suas respectivas áreas de atuação.

Dentro de todos os protocolos de segurança contra a covid-19, as 81 pessoas que atuam na área esportiva em projetos sociais que fazem parte do Educador Esportivo se dividiram em duas turmas – uma no período matutino e outra no vespertino – como forma de evitar aglomeração. Na ocasião, após a explanação da área técnica da SEL, o público pôde tirar dúvidas sobre a mudança do sistema, que funcionará totalmente no ambiente virtual.

Ana Clara Barbosa da Costa, 19 anos, e Lucas Soares Alves de Jesus, 20 anos, trabalham voluntariamente no projeto Dedicar, que atende 68 alunos, com idade inicial de 5 anos, especificamente na modalidade taekwondo, na Estrutural. “É uma área que a gente já conhece, é muito bom contar com o apoio da secretaria para trabalhar em uma área que gostamos e faz a diferença para tantas pessoas”, diz Ana Clara.

O EEV começou a funcionar em dezembro do ano passado. Os voluntários atuam em projetos sociais espalhados por Planaltina, Sobradinho, Brazlândia, Santa Maria, Núcleo Bandeirante, Recanto das Emas, Candangolândia, SOF Sul, Paranoá, Itapoã, São Sebastião, Ceilândia, Guará, Riacho Fundo II, Estrutural, Taguatinga, Sol Nascente e Fercal. Em breve a iniciativa estenderá sua atuação a áreas púbicas da cidade, como os Pontos de Encontro Comunitário (PECs).

O tempo de voluntariado diário de cada participante, estabelecido em quatro horas diárias ininterruptas, pode ser cumprido, entre 8h e 18h, sendo o ressarcimento de R$ 37 por dia, com alimentação e transporte.

“Desde o início da nossa gestão, procuramos informatizar todos os setores para aperfeiçoar o trabalho das equipes, como foi o caso dos Centros Olímpicos e Paralímpicos (COPs). Esses centros passaram por importantes mudanças tecnológicas que facilitaram, inclusive, o processo de matrículas. E nossos projetos seguem a mesma linha. Ao entrar para o ambiente virtual, beneficia todos os lados”, destaca a secretária de Esporte e Lazer, Giselle Ferreira.

*Com informações da Secretaria de Esporte e Lazer do DF

Agência Brasília* | Edição: Rosualdo Rodrigues